Sep 23, 2019

Os benefícios da hidroterapia para problemas de Parkinson

As perturbações motoras, tais como a doença de Parkinson, podem ser tratadas com recurso à hidroterapia. Um método que se baseia em exercícios na água e que deu provas de ser uma terapia de reabilitação inovadora. Tudo isto, sem movimentos bruscos e sem alterações que possam danificar a qualidade motora do paciente.

Por que motivo a hidroterapia melhora a doença de Parkinson

Tudo depende da gravidade dos sintomas de cada pessoa. No entanto, um estudo mostrou que a hidroterapia alivia em maior ou menor grau o estado dos pacientes com Parkinson.

A verdade é que este é um método de cura antigo que tem sido desenvolvido ao longo dos anos. Graças aos estudos realizados, foi possível evoluir em termos da utilização da água para o tratamento de doenças ósseas, musculares e neurológicas.
Os exercícios de hidroterapia permitem às pessoas ter um maior controlo sobre o seu corpo, sendo, desta forma, mais fortes perante a doença. Não foi demonstrado que a hidroterapia elimina 100% dos sintomas da doença de Parkinson, mas certamente, consegue melhorar a qualidade de vida dos pacientes. As suas principais vantagens são:

  • A água quente reduz a dor e melhora a tonificação muscular. O corpo relaxa e a rigidez eventualmente desaparece.
  • A hidroterapia aumenta a força e resistência muscular. Os pacientes retomam o controlo do seu próprio corpo, o que lhes permite serem mais independentes. A flutuação e a sensação de leveza da água são determinantes para esses resultados.
  • Os movimentos na água são muito mais lentos. Desta forma, permite uma retroalimentação sensorial mais pausada, com o objetivo de melhorar o controlo motor durante as caminhadas.
  • Na água, as barreiras motoras desaparecem e os movimentos tornam-se muito mais ágeis melhorando desta feita a flexibilidade e postura dos pacientes.
  • O exercício na água melhora o ânimo dos pacientes, diminuindo o risco de padecer de depressão.
  • Graças aos progressos de cada pessoa, a motivação aumenta para uma maior independência funcional.

Todos estes benefícios são distribuídos como parte de um programa de exercícios projetados especialmente para as pessoas com Parkinson. Cada treino será previamente ajustado às circunstâncias pessoais de cada paciente, sem forçar os seus próprios limites. Todas as preparações funcionais devem incluir exercícios, tais como:

  • Expressão facial.
  • Equilíbrio.
  • Alongamento.
  • Coordenação.
  • Exercício aeróbico.
  • Postura.

E, mais importante, muita diversão. Todos estes exercícios devem ser sempre realizados por um profissional e num ambiente seguro.

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.